Nossa História

Foi fundada em 2.014 a Associação de Defesa dos Integrantes da Segurança Pública do Estado de São Paulo, pelo Investigador de Polícia Aposentado, ALBERTO SABINO DE OLIVEIRA. A Associação foi criada, para dar continuidade aos movimentos de lutas dos anos de 1.990, no qual Sabino militou, com o intuito de ver florescer a luta pelos direitos dos Integrantes da segurança Pública do Estado de São Paulo, na defesa e na luta contra o SUCATEAMENTO DAS INSTITUIÇÕES POLICIAIS e lutarmos contra a ESCRAVIZAÇÃO dos seus INTEGRANTES.

O GOVERNO NÃO DEFENDERÁ E NÃO INVESTIRÁ CONTRA O SUCATEAMENTO DA SEGURANÇA PÚBLICA E NA ESCRAVIZAÇÃO DOS SEUS INTERANTES. QUEM TEM A OBRIGAÇÃO DE LUTAR E DEFENDER AS INSTUTUIÇÕES POLICIAIS SÃO SEUS INTEGRANTES E A POPULAÇÃO DE SÃO PAULO.

Para tanto, utilizaremos os MOVIMENTOS, através das redes sociais, carros de som e com a união de todas as Associações e Sindicatos dos Integrantes da Segurança Pública da Capital e do Interior; e JUNTOS SEREMOS MAIS FORTES, com a:  Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Guarda Civil Metropolitana, Policiamento dos Transportes Rodoviário estadual (CPTM) e outros órgãos de segurança,  denunciaremos os abusos e o abandono das nossas Instituições Policiais; reivindicaremos os nossos direitos á cidadania, direitos que são violados pelo governo do Estado.

POLÍCIA CIVIL: Vários dos seus Integrantes perdem e arriscam à vida no cumprimento de dever legal, deixando seus filhos e família abandonada.

Seus Integrantes trabalham em prédios antigos, sucateados. Ex. O Palácio da Polícia CIVIL, se ocorrer um incêndio, sem escadas de incêndios, muitas vidas serão CEIFADAS e as nossas AUTORIDADES não tomam conhecimentos.

OS INTEGRANTES DA POLÍCIA CIVIL, são ignorado pelo Governo do Estado; não tem direito á cidadania: Não tem direitos a segurança, a moradia, ao transporte público gratuito e trabalham em escalas abusivas. Não são promovidos, porque não existe cursos reciclagem e jamais chegaram à classe especial na época da aposentadoria. Todos integrantes são discriminados e marginalizados pelo governo do estado

O Governo do estado descumpri a lei federal 51/85, que garante a aposentadoria na Paridade e Integralidade e não cumpri a lei do nível universitário para Escrivães e Investigadores. Prejudicando e desmotivando os Policiais e prejudicando o bom andamento da Instituição e prejudicando principalmente a segurança da População.

POLÍCIA MILITAR E CORPO DE BOMBEIROS: OS SEUS Integrantes trabalham por amor à vida, promovendo a segurança da população, porém seus direitos não são assegurados pelo Estado: sem direito á moradia, salários defasados, sem incentivos na carreiras com as promoções atrasadas. Seus Integrantes trabalham em prédios sucateados, sem condições para exercerem suas atividades com dignidade. Outros Integrantes, trabalham em praças publica, locais parecidos com QUIOSQUES e em BASES, improvisadas nas periferias, sem as mínimas condições de trabalho e ainda são expostos a riscos de vida e expostos à represárias dos criminosos e do crime organizado. Estas BASES, não tem segurança, se bandidos atacarem estas BASES, seus Integrantes estão expostos, com armas ineficiente no combate aos criminosos, estão entregues ao deus dará, não tem se quer sanitários para fazer suas necessidades fisiológicas.

POLICIAMENTO FERROVIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO (CPTM). A ASSOCIAÇÃO, defenderá nos movimentos que seus Integrantes, tenham os mesmo tratamento dispensados aos Integrantes das PM, trabalham com seus quadros com defasagem, salários defesados e sem reajustes. Os Integrantes do PoliciamentosFerroviário (CPTM), prende ou detem os delinquentes, conduzindo-os às Delegacias e quando saem do local de trabalho para casa podem correr risco de vida, porque são obrigados a deixar á arma no Departamento.onde trabalham. Os Integrantes da CPTM, não tem assegurados os direitos de cidadão (direitos humanos). O Governo do Estado deveria autorizar que seus Integrantes portem suas armas, para se defender de uma possível atentado, porque eles trabalham em defesa do Patrimônio e da vida dos passageiros.

AGENTES PENITENCIÁRIOS, seus Integrantes trabalham inseguros, faltam milhares de Integrantes, salários defasados, sem motivação para exercer sua missão, sem direito a moradia, correndo risco de vida; cuidando dos presidiários. Também não tem assegurados seus direitos, não lhe sendo permitido portar arma para a sua própria segurança. Por esses motivos é que iremos levar os MOVIMENTOS ÀS RUAS, para denunciar e alerta á população, com a convocação de todas as Entidades e Sindicatos da Capital e Interior, para denunciar o falecimento da Segurança Pública no Estado de São Paulo.

JUNTOS SEREMOS MAIS FORTES EM DEFESA DA VIDA E DA CIDADÂNIA.

É alarmantes a defasagem dos Integrantes na POLÍCIA CIVIL, o déficit, são de mais de 15 mil; na POLÍCIA MILITAR e no CORPO DE BOMBEIROS, o déficit, são de mais de 25 mil;GUARDA CIVIL METROPOLITANA,  a defasagem são de mais de 4 mil Integrantes.AGENTES PENITENCIÁRIOS, a defasagem são de milhares de Integrantes; POLICIAMENTO FERROVIÁRIO ESTADUAL (CPTM), defasagem nos seus quadros são gritantes.